Cláudio Cordovil

Fim do mistério que ronda a coordenação de doenças raras

E prossegue o mistério envolvendo a recèm-criada Coordenadoria-Geral de Doenças Raras do Ministério da Saúde.

Mas, ao final da matéria, solucionamos o mistério. 

Aconteceu na quarta-feira (4/10) audiência pública sobre diagnóstico e tratamento de hidrocefalia de pressão normal. Fora convocada pela senadora Mara Gabrilli, presidente da Subcomissão das Pessoas com Doenças Raras (PSD-SP). 

A matéria publicada no site oficial da Radio Senado sobre o tema, de autoria de Luana Viana,  dá conta de que o Coordenador-geral de Doenças Raras seria o sr. Natan Monsores de Sá. Há aqui um erro ou imprecisão. Explico.

Na verdade, o atual coordenador (Departamento de Atenção Especializada e Temática – DAET-MS) de acordo com a Portaria de Pessoal GM/MS N° 758, DE 12 de abril de  2023 seria o sr Allison Maciel de Faria. 

O que conseguimos apurar para resolver o mistério? Que atualmente o sr. Natan Monsores de Sá estaria nomeado como consultor do DAET-MS, com uma bolsa Fiotec com vigência até outubro de 2023, concedida no Governo Bolsonaro, do qual foi também consultor.

No entanto, haveria uma movimentação junto à Casa Civil para formalizar sua nomeação ao cargo, que é dada como certa. O sr. Alisson seria deslocado para outra função. É esperada para algumas semanas a publicação no Diário Oficial da União de uma portaria elencando a equipe que integrará a referida Coordenação-Geral.

De nossa parte, e em consideração às pessoas que vivem com doenças raras neste país, só nos resta desejar sucesso ao Sr. Natan Monsores de Sá neste desafio, se confirmado.

Estaremos à disposição do Ministério para divugação de suas iniciativas neste campo, em nome da informação qualificada que sempre dispensamos às pessoas que vivem com doenças raras, desde agosto de 2017 no blog Academia de Pacientes.

Pode-se indagar se é etica ou legalmente conveniente que alguém se apresente com uma função pública ainda não existente e não publicada no DIário Oficial da União.

Esta é uma pergunta que deixo aos leitores para que tirem suas conclusões.

1 comentário em “Fim do mistério que ronda a coordenação de doenças raras”

Deixe um comentário

error: Corta e cola, não!
Verified by MonsterInsights