Doenças genéticas contribuem com 41% das mortes infantis

Em um estudo publicado no dia 9 de fevereiro no JAMA Network Open, os pesquisadores do Rady Children’s Institute for Genomic Medicine (RCIGM) descobriram que a contribuição de doenças genéticas para as mortes infantis foi maior do que a anteriormente reconhecida. De 112 óbitos infantis avaliados, as doenças genéticas de locus único (mendelianas) foram consideradas o antecedente mais comum da mortalidade infantil e associadas a 41% dos óbitos.

Os pesquisadores também descobriram que os tratamentos previstos para impactar positivamente os resultados estavam disponíveis para 30% dessas doenças genéticas. A implicação do estudo é que as estratégias de diagnóstico neonatal têm potencial substancial para diminuir a mortalidade durante o primeiro ano de vida.

“Pelo menos 500 doenças genéticas têm tratamentos eficazes que podem melhorar os resultados, e parece que as doenças genéticas não diagnosticadas são uma causa frequente de mortes evitáveis”, disse Stephen Kingsmore, MD, presidente e CEO da RCIGM. “O amplo uso do sequenciamento genômico durante o primeiro ano de vida pode ter um impacto muito maior na mortalidade infantil do que o reconhecido até agora”.

O estudo de coorte foi conduzido no Rady Children’s Hospital em San Diego e incluiu 546 bebês (112 óbitos infantis [20,5%] e 434 bebês [79,5%] com doença aguda que sobreviveram) que foram submetidos ao sequenciamento diagnóstico de todo o genoma (WGS) entre janeiro de 2015 e dezembro de 2020. Os bebês foram submetidos a WGS pré-mortem ou post-mortem com fenotipagem semiautomática e interpretação diagnóstica.

Entre as descobertas:

  • A doença genética de locus único foi a causa identificável mais comum de mortalidade infantil, com 47 doenças genéticas identificadas em 46 lactentes (41%).
  • 39 (83%) dessas doenças foram previamente relatadas como associadas à mortalidade infantil.
  • 28 certidões de óbito (62%) para 45 das 46 crianças não mencionaram uma etiologia genética.
  • Tratamentos que podem melhorar os resultados estavam disponíveis para 14 (30%) das doenças genéticas.
  • Em cinco dos sete bebês nos quais doenças genéticas foram identificadas post-mortem, a morte poderia ter sido evitada se a WGS diagnóstica rápida tivesse sido realizada no momento do início dos sintomas ou na admissão na unidade de terapia intensiva.

“Estudos etiológicos anteriores de mortalidade infantil são geralmente retrospectivos, baseados em registros eletrônicos de saúde e revisão de atestados de óbito, e sem informações do genoma, levando ao subdiagnóstico de doenças genéticas.

Na verdade, estudos anteriores mostram que pelo menos 30% dos atestados de óbito têm imprecisões”, disse Christina Chambers, Ph.D., MPH, que co-liderou o estudo. “Ao implementar o amplo uso do sequenciamento do genoma em recém-nascidos, podemos reduzir substancialmente a mortalidade infantil”.

Para esse fim, em junho de 2022, o RCIGM anunciou um novo programa para avançar e avaliar a escalabilidade de uma ferramenta de orientação de diagnóstico e medicina de precisão chamada BeginNGS (pronuncia-se “beginnings”) para rastrear recém-nascidos em busca de aproximadamente 500 doenças genéticas que têm opções de tratamento conhecidas usando o método rápido Whole Genome Sequencing (rWGS).

BeginNGS usa rWGS para diagnosticar e identificar opções de tratamento para condições genéticas antes do início dos sintomas, um avanço em relação aos usos pediátricos atuais de rWGS que se concentram principalmente em crianças que já estão gravemente doentes.

Depois que o diagnóstico é feito, o BeginNGS usa o Genome-to-Treatment (GTRx), uma ferramenta que fornece diretrizes imediatas de tratamento para os médicos para ajudá-los a entender as condições genéticas e suas opções de tratamento disponíveis, que podem incluir terapêutica, mudanças na dieta, cirurgia, dispositivos médicos ou outras intervenções.

Mais informações:  Reclassification of the Etiology of Infant Mortality With Whole-Genome Sequencing, JAMA Network Open (2023). (2023).DOI: 10.1001/jamanetworkopen.2022.54069

Deixe um comentário

error: Corta e cola, não!
Verified by MonsterInsights