A nova Abordagem para Doenças Raras do Reino Unido tem quatro prioridades

NEIL GRUBERT

A nova Abordagem para Doenças Raras do ³Reino Unido  define quatro prioridades para melhorar o atendimento dos  pacientes:

  1. · Ajudar os pacientes a obter um diagnóstico final mais rápido
  2. · Aumentar a conscientização sobre #doenças raras entre os profissionais de saúde
  3. · Melhor coordenação de cuidados
  4. · Melhorar o acesso a cuidados especializados, tratamentos e drogas
Ao final deste post você encontra o relatório UK Rare Diseases Framework para baixar (em inglês).

Na última dessas prioridades, o documento reconhece que “garantir o desenvolvimento contínuo e melhor acesso a conhecimentos especializados, tratamentos e medicamentos exigirá inovação e devemos aproveitar as oportunidades para realizar plenamente nosso potencial global e sinalizar nosso compromisso com a inovação e a colaboração. ”

O NHS [o SUS britânico] buscará “desempenhar um papel maior na disseminação e adoção de novos tratamentos inovadores baseados em evidências” por meio de iniciativas como o Early Access to Medicines Scheme, o Accelerated Access Collaborative e um Fundo de Medicamentos Inovadores expandido. Além disso, o NICE [a Conitec local] fará análises ambiciosas de sua avaliação de tecnologia e procedimentos de tecnologia altamente especializados.

Os profissionais de Ciências da Vida identificaram os principais desafios no campo das doenças raras da seguinte forma:

  • Avaliações de  tecnologia em saúde: 27%
  • Preços acessíveis para o NHS: 17%
  • Custo de Pesquisa & Desenvolvimento: 14%
  • Acesso a conjuntos de dados e registros  relevantes: 11%

Clique aqui para ampliar a imagem

Você pode, após clicar no link acima, dar zoom na imagem em seu celular, usando o polegar e o indicador.

UK-rare-diseases-framework
Gostou deste post Então comente aqui embaixo! Queremos tornar este debate mais vivo em nossa sociedade! Compartilhe esta notícia com seus amigos!

Neil Grubert é especialista em acesso ao mercado farmacêutico com 30 anos de experiência no rastreamento dos mercados globais de medicamentos. Ele é autor de mais de 150 relatórios sobre acesso ao mercado, cobrindo 20 mercados maduros e emergentes, várias áreas terapêuticas e vários problemas do setor. Atualmente trabalha como consultor independente. Você pode ler seus artigos toda segunda-feira, neste blog. 

Deixe um comentário

Visit Us
Tweet
error: Corta e cola, não!

REPUBLISHING TERMS

You may republish this article online or in print under our Creative Commons license. You may not edit or shorten the text, you must attribute the article to Academia de Pacientes and you must include the author’s name in your republication.

If you have any questions, please email ccordovil@gmail.com

License

Creative Commons License AttributionCreative Commons Attribution
A nova Abordagem para Doenças Raras do Reino Unido tem quatro prioridades